viernes, 18 de septiembre de 2009

Naufrágo. Alaor Tristante Junior


Um sonho findo
um sonho vindo
não sei se rio
se é um córrego
vai recobrindo
estes meus olhos

pondo-me cego
quase sem lágrimas
tonto me entrego
refém das águas
cada suspiro
cada braçada
não sei se rio
se é um córrego
vai recobrindo
estes meus olhos

serão meus risos
ou minhas mágoas
nas correntezas
do sem saída
ou nas tristezas
do sem chegada
serão meus risos
ou minhas mágoas
nas incertezas
das gargalhadas

um sonho findo
um sonho vindo
não sei se rio
se é um córrego
vai recobrindo
estes meus olhos...


Alaor es un nuevo amigo poeta, brasileño, considero que su poesía es muy agradable, los invito a su pagina: http://alaorpoeta.blogspot.com No dejen de visitarlo.
No quise abusar de los traductores.

1 comentario:

Carmen Rivero dijo...

Esta mañana subi el video y no me paré a leer nada, ahora me doy cuenta de esta poesía. Es linda...
luego te escribo....
Besos